ACORDEI COM LÁGRIMAS NOS OLHOS

Numa manha de sexta de inverno, mas que não é fria, o sol brilha forte já as 07h30 e uma fresta entra pela janela do meu quarto, deixei de ir para a academia logo cedo, para um momento de reflexão, ainda estou deitado, com um coberto fino, meias brancas, cueca vermelha, penso na vida (na minha) o tanto que já vivi o tanto que tenho para viver, faço poesias, toco um pouco de violão [...]

Vou até a janela e fico ali por alguns minutos e lágrimas vem aos meus olhos, lágrimas quentes, sinto um aperto no coração e como criança caída no chão.