BIOGRAFIA


Cristiano Américo Garcia, nascido dia 6 de abril de 1988 as 14:14 em Cotia - SP. Primeiro filho adotivo de Neide Madalena e Luís Carlos e segundo filho do casal,  se casaram aos 20 anos, tiveram uma primeira filha, Tatiane, que nasceu com problemas de má formação no coração e faleceu, logo após o casal ter adotado Cristiano, adotaram mais uma criança, Lilian Garcia, e por fim tiveram uma outra filha, Juliane Aparecida, que nasceu saudável. Assim sendo, Cristiano é o filho mais velho de três filhos do casal Garcia.

Luís Carlos, pai adotivo de Cristiano, é descendente de alemães e espanhóis instalados em Minas Gerais, e sua mãe, Neide Madalena, é descendente de orientais e índios das colônias do Paraná. Vieram para São Paulo crianças e foram criados na cidade de Cotia onde se conheceram na adolescência começaram a namorar e se casaram.

De família de classe média o pai de Cristiano tem formação em elétrica e trabalha como coordenador elétrico numa das instituições educacionais da Fundação Rotary e sua mãe tem ensino profissionalizante de cabelereiro, mas nunca exerceu a profissão, optou se dedicar a casa e família.

Cristiano e suas irmãs foram criados no leito da família materna, conviveram muito com seus avos, tios e primos. De família tradicionalmente católica, sempre festejaram todas as datas católicas, e os domingos eram reservados para missa e almoço na casa dos avos com todos os parentes.

Na infância Cristiano Garcia sempre foi uma criança amorosa e mostrava desde cedo seu gosto por arte, tinha mania de organizar espaços, seja ele qual for, de combinar cores e de desenhar espaços conforme sua visão de organização, nessa fase o que mais chamava a atenção era a clareza de seus desenhos e o uso de cores, sempre vibrantes. Mostrava afinidades com estética e organização, sempre foi uma criança observadora e reservada.

A mãe de Cristiano sempre foi preocupada com a educação dos filhos, foi uma mãe rigorosa e protetora, no dia a dia Cristiano e suas irmãs tinham uma vida regradas e com tarefas divididas, a casa onde Cristiano viveu era um sistema social, onde desde cedo Cristiano aprendeu a fazer tarefas para ter uma recompensa, isso foi um estimulo para o senso responsável que vinha desenvolvendo ao longo da sua vida. O pai de Cristiano um tanto introspectivo era inverso a sua mãe, estimulava os filhos a conquistar coisas, a fazer novos caminhos, sempre foi um pai em ensinar valores de cidadania, estimulava os filhos a ir até o centro da cidade sozinho, a fazer contas a lidar com dinheiro. Cristiano viveu numa família muito bem estruturada, era amado e amava os pais e as irmãs.

Criado entre a família materna, Cristiano era o único menino entre suas irmãs e primas de mesma idade, seus primos já eram adolescentes quase adultos e haviam primos bebes, isso possibilitou Cristiano desenvolver mais ainda seu lado delicado, apesar de ser uma criança bastante agitada e arteira, já nessa fase expressava uma paixão por animais e crianças, mostrando afinidades em cuidar e ser reesposáveis por tais. Ganhou de presente de seus pais seu primeiro cachorro de estimação, Betinho, um poodle cruzado com um Rottweiler, depois teve um gato, um peixe, uma tartaruga e por fim adotou mais uma cachorra vira-lata.

Conheceu pouco da família paterna, a maioria de seus tios trabalham na área de construção civil, tinham uma empresa de matérias de construção famosa na região e alguns eram engenheiros e outros militares, a família materna era de origem agrícola, tinham fazendas no Paraná e grandes plantações.

Em 1994 Cristiano entra na pré-escola, sempre mostrou entusiasmo em estudar, antes mesmo de entrar na pré-escola costumava pegar livros e entrar copiar as letras. Destacava-se na sala de aula por ser um aluno extremamente solidário com os colegas e por suas pinturas que mostravam traços fortes e cores vibrantes. No ensino básico também se destacava com um dos melhores alunos da turma as áreas de maior afinidade eram de português, língua inglesa, historia, ciências, artes e educação física.

1999 ao ingressar no ensino fundamental, Cristiano, começa a se tornar introspectivo, sentia muita dificuldade de se relacionar de uma maneira saudável com outros colegas,  era muito sistemático, apesar de aparentemente não demostrar essas dificuldades, se sentia rejeitado. Cristiano descobriu que era auto de data, estudava por conta, na escola enquanto tentava ser aceito em grupos populares, em casa é que conseguia se concentrar em livros e estudar sozinho. Sua mãe percebeu isso ao ir em uma de suas reuniões escolares e a professora dizer que Cristiano apenas conversava durante a aula, mas que ele era um excelente aluno, então ela notou que Cristiano aprendera a estudar em casa.

De poucos amigos, Cristiano, sempre selecionou muito seus amigos, no período escolar tivera um grupo fixo de 5 amigos, era o grupo de pseudos populares, tinha o aluno mais inteligente, a menina mais bonita, o esportista, o mais conhecido da escola, mais dois agregados e ele, muitas vezes não se sentia parte desse grupo, então sempre se esforçou para conhecer todos os grupos da escola, e isso foi ótimo para sua formação como pessoa, aprendeu a respeitar e admirar as diferenças, e isso de certa forma o tornava um dos alunos mais populares ou não, mas jamais era esquecido pelo corpo docente da escola e diretores.

2003 ingressou no ensino médio, tivera apenas um amor platônico pela sua melhor amiga que não sabia, fizera parte do grêmio estudantil e também de um grupo de teatro onde ele criou seu primeiro roteiro e execução de projeto, primeira vez que teve contato com uma produção e dai nasce um amor ainda endurecido pela arte.

Nesse período Cristiano, gostava muito de tecnologia, investiu e cursos de informática, web design, hardware, softwares, estava aficionado e apaixonado por tecnologia, além disso Cristiano, também fazia parte do time mirim de esportes da cidade de Cotia, jogava voleibol em campeonatos, fazia caratê, capoeira, se arriscou no futebol. Gostava muito de escrever, fazia diários e criava historias imaginarias, também por influencia de um primo que é padre, Cristiano, começou a frequentar a igreja católica como coroinha e a fazer cursos como catequese e crisma.

Teve sua primeira experiência profissional, aos 16 anos, foi trabalhar como estagiário de administração do engenheiro e escritor dos livros de decoração de feng shui, So Sing Ming, de quem ele admirava o trabalho, e foi um estagio onde se dedicou ao máximo, pois era um ambiente que gostava, logo após um pouco antes de entrar na faculdade, Cristiano, foi trabalhar como instrutor de informática.

Já em 2006, recém ingressado na faculdade através de uma bolça mérito, Cristiano se sentia muito realizado mas também apavorado com tudo aquilo, cauteloso e muito observador, percebeu que estava pisando em algo e lugares diferentes, no inicio sofreu muito pela diferença de classe social, mas nunca deixou que isso atrapalhasse seu sonho, se dedicou inteiramente aos estudos, era seu sonho, e estava apaixonado pela vida. Nesta mesma época vieram também alguns grandes transtornos ou mudanças para sua vida. Foi a época que Cristiano se assumiu homossexual, saiu de casa, namorou outros homens e mulheres, iniciou sua vida sexual, brigou com uma de suas irmãs, e ficaram por um bom tempo sem se falar, aprendeu a morar sozinho, tivera que trabalhar em outros empregos, sua família não teve nenhum problema de aceitação em relação a sua homossexualidade, literalmente essa foi a fase crucial para Cristiano, desenvolveu valores, desconstruiu imagens fixas sobre sociedade , cultura e religião.

Nesse período muitas transformações e muitas informações indagaram Cristiano, fazendo com que ele tivesse isso como um exercício para sua formação de caráter, conheceu lugares incríveis, viajou para museus, exposições, conheceu muitas pessoas da sua área, teve oportunidade de realizar trabalhos e projetos de obras audiovisuais, namorou com escritores, artistas plásticos, produtores, atuou em diversas áreas e produtoras, nessa fase foi a fase onde Cristiano encontrou “sua turma”. Sempre muito reservado e amoroso, conquistou bons amigos, fez laços profissionais importantes e deixou sua marca registrada em suas obras e projetos realizados.

Após terminar a faculdade, Cristiano, fez uma especialização, tem diversos projetos em andamentos, esta se preparando par explorar outros países e conhecer novas culturas, conseguiu se estabilizar financeiramente, hoje mora na capital de São Paulo, num apartamento alugado, onde é seu refugio e berço para suas criações e reuniões com amigos.


Hoje (2014) Cristiano Garcia, 26 anos, ariano com ascendente em leão e lua em sagitário, amante de arte e tecnologia, se tornou produtor, ama seu trabalho, tem bons amigos, praticante de yoga e exercícios na academia regularmente, aprendeu a cultivar e distribuir felicidade, a esbanjar simpatia e executar tarefas com capricho e dedicação, ter sempre uma palavra de encorajamento a quem precise, não desiste fácil de uma ideia, esta aprimorando a falar sobre o que sente e o que pensa de uma forma não agressiva, esta aprendendo a se apaixonar mais pela vida e fazer coisas boas deixando sua marca registrada.